adeehmello

Oi seja bem-vindo(a), como se sente?

Nós podemos mudar essa realidade



Ontem foi dia 17 de Maio, data marcada pela luta contra a homofobia, pois a exatos 30 anos a OMS - Organização Mundial da Saúde - retirou a homossexualidade da classificação Estatística Internacional de doenças e problemas relacionados a saúde (CID). Desde então essa data ficou como símbolo de resistência LGBT para sempre. Neste dia pensamos e refletimos sobre como podemos deixar uma sociedade melhor e mais consciente para o futuro. Um futuro sem preconceitos, com respeito às diferenças e o mais importante: um futuro onde o amor possa ser mais forte e mais vivo.

Tenho 20 anos, sou gay, então sim eu faço parte dessa minoria que luta a tantos anos por um amor com liberdade. Esses dias postei no instagram - @adeehmello - algumas fotos antigas de casais LGBT que encontrei em pesquisas no Tumblr. Aliás queria ressaltar que no dia de ontem os apoios através das redes sociais bombaram, o Twitter conseguiu se superar, amei ver tudo isso! ♥ O que encontrei foram fotos de amores simples, sem nada intenso, amor reprimido. Era um abraço aqui e um beijo rápido lá, tudo porque aquela época era exatamente o período onde preconceitos e punições por conta do amor homoafetivo eram constantemente e severamente aplicadas. Eram casais que faleceram sem se tocar, sem se amar. Homens que iam para as guerras e reprimiam até um olhar para seus parceiros pelo medo. Mulheres que trajavam vestes masculinas da época só para ficarem perto de suas parceiras.

Esses amores tirados injustamente dessas pessoas, mas que perpetuam em nossas mentes até hoje nos faz pensar que o amor sempre vence. Que ele sempre ultrapassa a linha do tempo, não importa como. e cá estou eu falando de amor e homossexualidade, em um tempo não tão distante do tempo desses amores roubados. Mas creio que seria o tempo em que eles seriam bem mais livres. Somos o país que mais mata homossexuais, bissexuais e transsexuais no mundo. Somos um país onde mesmo com uma ponta de liberdade, não podemos andar de mãos dadas em alguns cenários, pois não sabemos de onde a violência pode surgir. É um tipo de liberdade controlada, e será que deveria existir controle na mesma frase em que colocamos a palavra liberdade?


O preconceito mata, polui, retira famílias e alegrias, sorrisos e amor, carinho e sentimento. É real e temos medo, ao ponto de declarar um dia para se ter consciência sobre o assunto. Dia esse que deveria ser normal como todos os outros, mas saber que a cada uma hora um LGBT morre no Brasil por homicídio ou suicídio, não é algo de se manter como um dia comum. Precisamos sim dessa data para chamar atenção à tudo que temos lutado e conquistando esse pouco que temos e tudo o que ainda falta. E falta um longo caminho.

A violência que existe hoje conta as pessoas LGBT, é vista até como algo normal pelos olhos que não querem ver de onde esse preconceito surgiu. Ele passou a existir justamente quando a homossexualidade passou a ser tratada como doença e então assuntos como HIV e AIDS bastante presentes na época nesse público eram consequentemente associados às pessoas LGBT como a causa de sua proliferação. A partir disso a religião tomou conta da situação, demonizando ainda mais a minoria. E se não bastasse começaram a surgir a amputação de direitos às pessoas LGBT no mundo todo, e olha só, tem países que ainda mantém essa linha de pensamento! O preconceito é ainda maior pela ridicularização propagada pela mídia durante anos, onde só conseguíamos ver gays tratados como bichinha, a pessoa brega e que só pensava em homens, a pessoa que só estava ali para ser motivo de risos. Essa construção de humor homofóbico viveu por anos em nossos lares no formato de filmes, novelas e séries.


Podemos ver claramente que o preconceito é uma criação social e de anos. E por ser uma criação social, a própria sociedade ela mesma tem o poder de destruir esses pensamentos. Nenhum ser humano nasce preconceituoso, mas é triste você ver uma criança lançando palavras de ódio para alguém por conta da sua orientação sexual e saber que ela não nasceu assim, ela aprendeu a ser desta forma.

"Ninguém nasce odiando outra pessoa por causa da cor da sua pele ou da sua origem, sua sexualidade ou religião. As pessoas devem aprender a odiar, e se elas podem aprender a odiar, podem ser ensinados a amar, pois o amor chega mais naturalmente ao coração humano que o seu oposto." - Nelson Mandela.


Stop homofobia! Precisamos parar, precisamos nos amar mais. Quem vai ditar regras para o nosso amor? Quem vai dizer a quem devemos amar? Eu sei quem, é o nosso coração, apenas ele tem o poder de escolher a quem vamos nos apaixonar, quem vai fazer parte dos nossos sentimentos pra sempre. Podemos mudar a nossa realidade, e podemos já!

Na psicanálise Freudiana, podemos entender o preconceito através dos mecanismos de defesa do Ego. O mecanismo no qual estamos falando é a projeção: é onde alguém aponta nos outros as suas inclinações e que o seu superego (sua justiça) acha reprovável. Nos casos dos preconceitos a projeção seria bem aplicada, pois é quando um grupo de pessoas projeta em outros seus próprios impulsos e características inaceitáveis por si mesmo. Nesse mecanismo de defesa esses impulsos são projetados em outros e vistos como externos a si, inconscientemente sabemos que não dá para projetar e se livrar completamente, esse é um mecanismo para apenas defender o Ego de incômodos e ansiedade caso ele se sinta ameaçado.


A população LGBT além de preconceitos que vive socialmente, tem de viver também dentro de lares nada favoráveis. O suicídio dentro da comunidade LGBT hoje só cresce, justamente por essas pessoas não estarem em ambientes familiares legais com amor e carinho e que muitas vezes são formados por violência psicológica e física. Suas mentes ficam frágeis e aos poucos essas pessoas vão perdendo suas esperanças e expectativas de vida, onde acabam cometendo esse ato contra a própria vida. Precisamos mudar essa realidade, precisamos construir lares onde o amor e a compreensão possam ser o centro de tudo. Você que é LGBT e pode ajudar outros nesse tipo de situação, ajude da melhor forma possível. Um abraço já ajuda a melhorar o dia de todos, imagina para quem está no meio dessa turbulência inteira? Sejam amigos para todas as horas, vamos acolher uns aos outros! ♥

Nós da área da Psicologia, seja atuante ou estudante, estamos nessa luta juntos para que possamos fazer daqui pra frente esse dia se tornar algo memorável, e que lá na frente isso tudo possa nos conceder muitas vitórias. Chega de preconceito, 17 de Maio, dia internacional da luta contra a homofobia. Nós podemos mudar essa realidade! ♥

Foto por: Christian Sterk

Comentários

  1. Oi, Dêh <3
    Que texto lindo! Aos poucos vencemos essa luta, há muito pela frente e que façamos ser ouvidos!
    É muito importante o apoio e a visibilidade que a comunidade LGBTQI+ vem recebendo, precisamos saber aproveitar esse momento pra mostrarmos nossas cores <3 Ser punido ou criticado por amar é algo que realmente me entristece, mostra o quão egoístas as pessoas são por quererem que sejamos como elas.
    Beijos

    Primavera Agridoce ♥️♥️♥️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aos poucos a gente vai conseguindo mostrar essas cores sim, mas é sempre importante continuar, estar com essa visibilidade bastante intensa, pra mostrar que estamos aqui, e aprendemos a nos defender! Mais amor, mais esperança! ♥

      Excluir

Postar um comentário

SIGA POR E-MAIL