01/02/2020

Isso aqui é sobre ansiedade


Aviso: cuidado com as palavras à seguir. Ao menor sinal de desconforto, fecha a janela na hora!

Quando eu decidi escrever esse post eu tinha acabado de me recuperar de mais uma crise. Eu hoje entendo que sofro disso, a ansiedade por muito tempo foi algo que me deixou intrigado mas ao mesmo tempo eu não liguei, acho que quando fui procurar ajuda já era algo que estava me consumindo por dentro. Eu decidi escrever assim que eu me acalmei, e que eu pude perceber que ja era hora de definir essas coisas em palavras na minha vida; na realidade eu nem sei como tudo isso vai ficar, mas vou tentar escrever, vou tentar ao máximo deixar claro como me sinto. Acho que consigo fazer isso. Essa imagem acima eu gostei demais, acho que define bem o que a minha mente passa quando encontro algo no caminho que está "faltando" alguma coisa para completar. Não sei se isso tem alguma relação com a ansiedade, mas na minha mente eu vou lá e completo.

Eu acredito que minha ansiedade tem origem lá trás. Eu fui uma criança que hoje eu defino minha criação como uma criação tóxica. Eu sempre fui impedido de ser eu mesmo e por longos tempos em que eu tentava eu fui repreendido. Acho eu por conta disso também minha orientação sexual foi algo que só consegui mostrar com bastante tempo e quando realmente eu me senti seguro. Eu fui criado numa família onde o ato de dançar se não fosse algo feito em família por diversão ou com um homem e uma mulher (o casal pra eles), era algo a ser reprovado, principalmente pelos homens da família. Ou seja, nada de meninos dançando. Acredito também que meu ensino médio foi de grande ajuda para melhorar essa situação, lá eu pude ser quem eu era e ainda mais, descobrir mais sobre mim mesmo.

Eu fui criado onde pessoas pessoas me perguntavam se fulana era bonita, como se eu tivesse que chegar nela pra alguma coisa sabe? E eu me sentia acuado, perturbado, sem saber se eu ia para parecer um idiota, ou se não ia pra ser visto com olhos de repúdio. Eu fui criado onde qualquer coisa relacionada ao conhecimento científico, deveria ser provado pelas obras de deus (não estou julgando nenhuma religião, apenas expondo o que eu passei), e se eu contestasse eu era alguém que não acreditava, eu era alguém que seria castigado. Ah! E qualquer outra fala de outra religião era rotulado como do diabo, como algo ruim, como algo que não deveria ser comentado. Eu fui criado num local onde até a escolha do meu curso foi motivo de briga, de confusão. onde se eu não permanecesse na minha decisão insistindo, eu estaria fazendo outra coisa "porque dá mais dinheiro" na visão das pessoas dessa casa. Eu fui criado onde o meu silêncio por estar chateado ou triste é porque na verdade eu estou deixando a família de lado, o que na verdade deveria acontecer que é perguntar se eu estou bem, nunca fizeram. Aliás, estar bem aqui é sinônimo de que se a maioria está bem, não é pra você estar mal, ou seja, aquela velha frase do "não tem nada pra você estar desse jeito" sempre foi dita nessas paredes.

Leia também: Sobre pessoas intensas.

Eu gosto de ficar no meu canto enquanto penso, enquanto não estou bem. Mas sabe porque adquiri esse hábito? Porque a todo momento em que eu tentei me explicar, as conversas sempre eram de que se eu estou assim de alguma forma a culpa é minha. Mas na verdade, ansiedade nem precisa de culpados, ela simplesmente acontece. o modo como eu vivi não é a causa da minha ansiedade, mas tem sua parcela de contribuição sim para a pessoa insegura, acuada, e com medo de reagir a certas ocasiões que eu me tornei. Mas na verdade eu não sinto que tenham culpados, porque eu não ligo pra isso. Eu ligo pra algo que eu sempre repito aqui, que se um dia eu tiver filhos eles serão criados de uma forma totalmente diferente da que eu fui. De uma forma saudável!

Minha primeira crise eu não lembro de nenhuma forma. Acho que qualquer pessoa que só tenha tomado consciência sobre o assunto depois de um tempo, não sabe ao certo como tudo começou. Eu sei ate definir algumas, que me incomodam bastante. Eu estava voltando de um estágio que eu tinha no centro do Recife. Eu já vinha me sentindo mal desde logo cedo, pela manhã, mas segui o dia normalmente. Eu só parei pra pensar que tinha algo errado, quando eu recuei por uns três segundos antes de subir no ônibus, aquilo era medo e eu não sabia o por quê. Eu subi, e minhas mãos começaram a suar, e eu ainda sem entender aquilo tudo. Na verdade eu só vim descobrir o que era através da terapia, o que me custou vários dias de angústias. Eu cheguei na estação, e as vozes das pessoas pareciam incomodar, pareciam gritar mais alto que o normal e eu me sentei, eu esperei uns quatro metrôs passarem porque eu não tinha coragem pra entrar. Por dentro do meu peito começava algo a formigar, e eu chorei, eu não estava fazendo a mínima ideia do que estava acontecendo, eu apenas estava sofrendo, sem saber como reagir.

Depois de um tempo a gente acaba descobrindo os sinais que o corpo dá, naquela ocasião eu não sabia do que se tratava, mas hoje eu percebo que são os sinais de uma crise. A região frontal do meu cérebro esquentava, no modo mais tosco de falar, mas é que ficava quente por dentro e que não queria pensar em nada, mas a minha mente jogava tudo o que ela pudesse lembrar pra fora e ficava mil coisas passando na minha mente. Isso me dá dor de cabeça, e eu fico inquieto na hora, sabe a perninha balançando? Quando eu não consigo ter os meus pensamentos organizados, ela começa a balançar, e nessa hora eu só queria ficar no escuro em silêncio. Eu fui pegar o metrô umas três horas depois do normal nesse dia, era luz, eram pessoas conversando, eram celulares, era o metrô balançando.

Leia também: Você merece mais.

Eu pensei em uma coisa e minha mente me devolveu outra de uma forma muito grossa. Eu acho até que nas crises de ansiedade a mente da gente prega algumas peças em nós mesmos. Eu me imaginei saindo dali correndo, porque a minha sensação era de querer morrer, ou arrancar minha cabeça fora. O que eu queria nessa corrida era justamente sentir o vento no rosto e tentar me manter bem, ou o melhor possível. Mas a minha mente de alguma forma me fez pensar que onde eu iria eu estava, que onde eu corresse eu estaria com a mesma agonia, que onde eu escapasse tudo retornaria. As minhas mãos começam a se tremer quando lá no fundo eu sinto uma pequena agitação e eu já percebi que quando isso acontece é hora de fechar os olhos e respirar bem fundo e lento pelo menos umas quatro vezes. Minha ansiedade bagunça minha mente, mexe com meus movimentos, acelera meu coração e bloqueia boa parte da minha respiração. É um dificuldade enorme se manter calmo e ao mesmo tempo vivo nessas situações.

Eu acho que nunca contei isso pra minha família. Bom, mas se alguém tiver lendo isso, agora sabem. O meu costume de ficar sempre só e de me isolar é o que eu mais uso em tempos assim. Eu fico um ser humano que não consegue ouvir o que estão falando bem do meu lado, porque na verdade a minha mente está gritando o tempo todo comigo. As pessoas acham que é porque eu não quero responder ou estou ignorando elas, eu estou ignorando o barulho, ou pelo menos tentando. O que eu quero com esse post é que você tenha uma ideia do que se passa na mente de alguém que sofre de ansiedade, e eu vou te contar uma coisa: se tiver alguém do seu lado da mesma forma e você perceber, faz apenas um gesto por essa pessoa, abrace-a, por favor.

Eu acabei me tornando uma pessoa que evita estar olhando nos olhos pra não causar algum tipo de desentendimento. Eu sou a pessoa que sempre vai achar que está incomodando, por mais bobo que seja eu sempre acho isso. Eu sou a pessoa que tenta sempre estar bem para as outras pessoas para que elas não façam perguntas difíceis. Mas também não é fingimento, quem tem ansiedade não consegue fingir, infelizmente. Me tornei a pessoa que tem medo de encarar muitas coisas na vida, me tornei alguém que no grupinho de uma briguinha, eu sou o único que não vai dormir à noite pensando em como resolver aquilo tudo. Eu me tornei um ser humano que volta pra casa a pé todas as noites para poder andar sobre a noite, apenas isso. E vocês não sabem o quanto eu adoro a noite; ela tem um poder enorme de me acalmar e de me fazer organizar a minha vida de todas as formas. Eu acho que de tanto ter crises durante o dia, o sentido de luz pra mim é mais motivo de desordem e anomia do que de paz e aconchego. O prazer que o silêncio da noite me proporciona é acolhedor.

Eu sou a pessoa que sempre acha que qualquer pessoa pode fazer qualquer atividade melhor do que eu. Eu nunca vou estar 100% ligado à mim mesmo. Acho que é por isso que propago tanto o amor-próprio e a autoconfiança, isso funciona até como aprendizado por mim mesmo. Eu sou o que nunca mostrará o que realmente sou até ter um certo nível de intimidade com você, porque eu tenho medo de te assustar, não porque sou uma pessoa ruim, mas acho que o minha ansiedade promove uma vontade incontrolável de ser aceito no meio que eu estou inserido. Então eu farei de tudo para ser a melhor pessoa possível por você e por mim.

Eu sinto que todo mundo pode me julgar, até mesmo as pessoas da rua que não tem nada a ver comigo e muito menos sabe o sentido das minhas atitudes. Pra quem tem ansiedade, parecer "normal" é o essencial antes de ir a qualquer lugar. Se não for assim pode ter certeza: estarei pedindo desculpas por tudo o que eu achar que fui tóxico e chato. Nesses casos a sensação de ser incapaz de fazer novas amizades vem à tona. O que me faz ficar cada vez mais distante das pessoas. Ah! E por último, se a gente algum dia brigar, eu não vou conseguir dormir, eu vou chorar. Uma vez eu vi nas redes sociais algo que é fato: nunca durma brigados com alguém que tem ansiedade, você vai dormir, mas essa pessoa não.


Ansiedade não é sobre o futuro. É sobre a desordem do presente. Eu não sei porque isso existe e eu queria que não existisse. Isso te deixa fraco e eu posso te dizer porque eu passo por isso, a ponto de quando tudo se acalmar o seu corpo só pedir pra descanar, dormir. É uma vontade imensa de morrer porque você sente que a melhor forma de acabar com tudo isso é dessa forma. MAS NÃO É. Ansiedade é sobre muita gente achar que você é fraco, mas não faz ideia da batalha que você trava todos os dias na sua cabeça. É quando seu corpo se alinha às complicações da sua mente e te derruba, te causa náuseas, formigamento, uma verdadeira vontade de arrancar a sua pele e você sente uma mistura de querer sair de você mesmo, mas querendo ficar. Porque o melhor lugar naquela situação é o teu próprio corpo e que na verdade quem ou o que te ameaça, está do lado de fora. Quando na verdade está por dentro dos seus pensamentos.

Quando eu disse para abraçar as pessoas que estão em crise de ansiedade, eu estou falando de você se tornar o melhor abraço naquele momento. Mas não é só isso, ao identificar um amigo com esse tipo de problema, deixe claro em todas as chances que tiver que essa pessoa está segura, não será julgada, pode ser ela mesma, que ela está segura. Em um ambiente com pessoas que deixam a situação o mais claro possível, diminui bastante as chances de quem tem ansiedade se sentir desconfortável. Faça do seu ambiente algo sadio, amigável e acolhedor. Essas pessoas, assim como eu, já ficam tristes, angustiadas e nervosas do nada, assim mesmo com a vida; fazer de uma roda de amigos ao aconchegante pra ela ser ela mesma, é o mínimo que podemos fazer como amigos de verdade.

Parece que é alguém te perseguindo constantemente. E que isso tudo não vai ter fim, mas tem. Através da terapia. Um psicólogo na minha vida foi a melhor decisão que tomei. Fazer terapia é você entrar em harmonia consigo mesmo. Sabe aqui logo acima quando eu disse que a mente e o corpo se alinha? Através da terapia eles também se alinham, mas pra te proporcionar o melhor alívio do mundo. Com a terapia você percebe que estar dentro de você é seguro, ao mesmo tempo em que você se desprenda também é seguro. Eu acredito que em algum dia na vida a gente possa derrotar esse mal. Ansiedade é horrível, ao ponto de só um médico da mente, um psicólogo pode te ajudar. Não é uma cura instantânea, mas aos poucos você vai sabendo como melhorar o andamento da sua vida, a organiza-la e a ficar de bem consigo mesmo.

Deixo aqui esse post como uma forma de esclarecer como é toda a situação passada por alguém com ansiedade em crise. E o tamanho da importância de uma boa terapia. Procure um psicólogo o quanto antes; ansiedade machuca mentalmente e fisicamente também, e deixa marcas que podem ser o pivô de novas crises futuramente. Eu adorei escrever sobre esse assunto porque isso tudo fala sobre mim e o que eu vivo, e acho que consegui definir as coisas muito bem por aqui. Enfim é isso, isso aqui é sobre ansiedade! Se cuida! ♥

Instagram ♥ Facebook ♥ Pinterest ♥ We heart it ♥ Twitter

Nenhum comentário:

© Adeeh Mello Blog - 2020. Todos os direitos reservados. Criado por: Adeilson Mello. Me siga no Instagram @adeehmello.