24/05/2020

Cancelando a cultura do cancelamento



Um título um tanto embaraçoso não é? Cancelar a cultura do cancelamento. Acho que vocês já devem ter ideia do que seria isso de cancelamento. A cultura do cancelamento se instalou em nosso país bem no início desse ano, começou como uma "zoeira" na internet com os famosos e logo depois se estabeleceu em todo o país, e acho até que em algumas partes do mundo também. Essa cultura se dedica a "cancelar" alguém por alguma atitude considerada errada ou indevida por um outro, então essa pessoa é "cancelada" das nossas vidas, ou seja, passa a não fazer parte do nosso convívio.

A cultura do cancelamento se espalhou ainda mais no período do carnaval desse ano, onde algumas fantasias tinham uma espécie de adesivo com o nome cancelado nele, e que você poderia colar em alguém. Claro que isso era carnaval, é uma fantasia, ali era meramente uma piada. Só que as coisas passam sempre dos limites, ao ponto disso virar um jogo de opinião pra saber quem é que está certo para não ser cancelado, e acabamos por isolar e escantear várias pessoas das nossas vidas.

O cancelamento agora para a ser uma brincadeira (com fundo de verdade), para se fazer por qualquer motivo que seja taxado como atitude indevida. Então basicamente isso funciona na base do ego, se uma atitude ou pensamento seu atingiu alguém de alguma forma pessoal, essa pessoa te considera cancelada, no caso, da vida dela. É uma brincadeira que ultrapassa os limites determinando que não devemos errar, pois errar significa cancelamento, então é preciso andar na "linha" a todo instante. Linha essa que será imposta a todo momento pelos olhares alheios.

18/05/2020

Nós podemos mudar essa realidade



Ontem foi dia 17 de Maio, data marcada pela luta contra a homofobia, pois a exatos 30 anos a OMS - Organização Mundial da Saúde - retirou a homossexualidade da classificação Estatística Internacional de doenças e problemas relacionados a saúde (CID). Desde então essa data ficou como símbolo de resistência LGBT para sempre. Neste dia pensamos e refletimos sobre como podemos deixar uma sociedade melhor e mais consciente para o futuro. Um futuro sem preconceitos, com respeito às diferenças e o mais importante: um futuro onde o amor possa ser mais forte e mais vivo.

Tenho 20 anos, sou gay, então sim eu faço parte dessa minoria que luta a tantos anos por um amor com liberdade. Esses dias postei no instagram - @adeehmello - algumas fotos antigas de casais LGBT que encontrei em pesquisas no Tumblr. Aliás queria ressaltar que no dia de ontem os apoios através das redes sociais bombaram, o Twitter conseguiu se superar, amei ver tudo isso! ♥ O que encontrei foram fotos de amores simples, sem nada intenso, amor reprimido. Era um abraço aqui e um beijo rápido lá, tudo porque aquela época era exatamente o período onde preconceitos e punições por conta do amor homoafetivo eram constantemente e severamente aplicadas. Eram casais que faleceram sem se tocar, sem se amar. Homens que iam para as guerras e reprimiam até um olhar para seus parceiros pelo medo. Mulheres que trajavam vestes masculinas da época só para ficarem perto de suas parceiras.

Esses amores tirados injustamente dessas pessoas, mas que perpetuam em nossas mentes até hoje nos faz pensar que o amor sempre vence. Que ele sempre ultrapassa a linha do tempo, não importa como. e cá estou eu falando de amor e homossexualidade, em um tempo não tão distante do tempo desses amores roubados. Mas creio que seria o tempo em que eles seriam bem mais livres. Somos o país que mais mata homossexuais, bissexuais e transsexuais no mundo. Somos um país onde mesmo com uma ponta de liberdade, não podemos andar de mãos dadas em alguns cenários, pois não sabemos de onde a violência pode surgir. É um tipo de liberdade controlada, e será que deveria existir controle na mesma frase em que colocamos a palavra liberdade?

26/04/2020

Seja sempre um alguém motivador



Esses dias eu tive um pequeno momento de tristeza. Na verdade quando eu contar vai parecer bobagem pra muita gente, outros podem até entender, mas pra mim funcionou como algo muito ruim, muito ruim mesmo. Na faculdade eu tenho uma cadeira que é a continuação da Neurociência depois da Neuroanatomia, é a cadeira de Neurofisiologia. Pra começar eu queria dizer que eu amo a neurociência e isso começou justamente através da neuroanatomia lá no segundo período. Eu de amo paixão e mal terminei a faculdade e já estou pensando no que fazer nessa área como pós.

Essa relação de amor com a neurociência começou através da neuroanatomia, quando uma professora que eu amo muito - Tainá Ottoni - iniciou essa cadeira que ganhou de vez o meu coração. Eu chamo de "a parte concreta da psicologia", nem sei se posso chamar assim, mas acabei dando esse nome porque tudo na psicologia se remete à pensamento, cognição, comportamento, sonhos, ações etc... Ou seja, coisas que não são visíveis, ou precisam ser avaliadas para se ter um entendimento. Eu amo esse sentido da psicologia, mas eu acabei adorando essa "parte concreta" que é a neurociência justamente por ser algo que eu posso ver, afirmar, pois é algo palpável, algo que eu posso direcionar de primeira, ou seja, algo concreto.

Tainá é o tipo de professora que sinceramente, é um anjo na vida de qualquer pessoa que possa ter o prazer de ver a sua aula. Ela é bióloga, e um ser humano incrível. Não sei ao certo se vamos voltar a ver ela no decorrer do curso ou se ela leciona apenas essas duas cadeiras em psicologia, seria bom mais, mas creio que são apenas essas duas... Saudades desde já! ♥ É a partir daí que se inicia a razão de escrever esse post, é por conta desse ser incrível que esse post sobre ser um alguém motivador foi criado.

13/04/2020

Dando um significado positivo para as coisas


Olhem para essa mulher da foto (foto: reprodução Tumblr) por um tempinho. Olhe nos olhos dela e imagine o que ela está olhando. Agora vamos falar sobre o que ela está fazendo, e a resposta é: olhando, observando, apurando... Isso é um pequeno detalhe de tudo o que a gente pode imaginar sobre a imagem, o que eu queria na verdade era mostrar que a observação, uma atitude tão simples que a personagem da foto até fecha mais os olhos e franze a testa pra poder perceber certos detalhes tão interessantes que se mostram à ela, que na verdade essa mesma atitude a gente não tem durante o nosso dia a dia. Você já parou pra pensar que se a gente olhar para alguns pontos que surgem no nosso cotidiano com outros olhos a gente poderia ter uma observação e conclusão diferente sobre aquilo?

Tudo bem que a interpretação é livre para toda e qualquer pessoa, afinal somos seres subjetivos, o que é para mim pode ser ou não da mesma forma pra você. Vai depender é claro, da percepção que cada um tem sobre o mesmo problema. Mas o ponto que quero chegar, é diretamente nas pessoas que pensam sempre negativo diante de alguma situação, algo que a gente pode mudar com posições simples e que ajudam bastante na hora de ter uma percepção positiva e animadora diante de cada desafio. Eu estou falando sobre aprender e dar um significado positivo para as coisas!

Eu já falei pra vocês aqui em outras postagens que eu nunca penso que para cada situação existe um lado bom e ruim. Para mim o que existe é um lado bom, e o lado do aprendizado, onde errando, caindo e não superando a gente pode voltar de onde a gente partiu só que desta vez aprendendo a como lidar com a situação e ultrapassa-la duas vezes mais forte. Pensar assim pode até parecer fácil, mas quando o assunto é colocar em prática fica mais difícil, mas nunca impossível. Mas também não precisar se apressar para conseguir agir dessa forma, calma, o equilíbrio não é estável, é fluido e uma hora chegamos todos lá.
© Adeeh Mello Blog - 2020. Todos os direitos reservados. Criado por: Adeilson Mello. Me siga no Instagram @adeehmello.